Escrevendo uma novela romântica - Arco Dramático de personagem

Este é mais um artigo da série "Passos para escrever uma novela romântica", que abarca as diversas fases do processo de escrita, desde a ideia até a revisão.

Assim como os personagens possuem um arco dramático - passam por altos e baixos ao longo da história -
a história também tem o seu próprio arco. E a maneira de organizá-lo e conduzi-lo faz a diferença na qualidade do resultado final da história. 

Este artigo mostra cada uma das partes desse arco, com explicações detalhadas de como encaminhar cada um. 



ARCO DRAMÁTICO DA HISTÓRIA

Nesta série de Passos para escrever uma novela romântica já falamos do planejamento visual, dos personagens da novela romântica e seus arcos dramáticos. 

Hoje falaremos do Arco Dramático da História.

Uma história nunca está quieta, deve mudar a cada momento. Essas contínuas mudanças são a trama da história. Esta trama é formada por cada coisa que fazem ou que acontece aos personagens. Algumas destas coisas que lhes sucedem são tão importantes que mudam o curso da história: são os EVENTOS DRAMÁTICOS. E, por sua vez, alguns destes eventos são tão poderosos que fazem a situação do protagonista dar um giro de 180 graus. Este tipo de evento se chama REVÉS, e afetará tudo o que acontece deste ponto em diante.

Aqui está um gráfico do ARCO DRAMÁTICO DE UMA HISTÓRIA. Observe a curva com atenção:



Esta curva representa a tensão dramática da história. Note que vai ascendendo, tendo picos em determinados pontos (eventos), e descendo logo depois destes picos (transição).

Agora descreverei para você cada um destes eventos:

Disparador

O disparador da história é um evento imprevisto que rompe o equilíbrio do MUNDO COTIDIANO DO PROTAGONISTA. O personagem se vê obrigado a agir para tentar restabelecer o equilíbrio e voltar à sua vida normal.

O disparador é a primeira manifestação do CONFLITO EXTERNO PRINCIPAL da história. É o que organiza a história, já que obriga os personagens a reagirem, e a se colocarem de um lado ou outro, ou seja, a tomar uma posição.

Podemos apresentar a vida normal do protagonista através de suas rotinas cotidianas e na sequência introduzir o disparador. Ou podemos iniciar a novela diretamente com o disparador e deixar que o leitor tire suas próprias conclusões sobre como era sua normalidade pela maneira como reage o protagonista. Utilizamos a reação do protagonista diante da situação desequilibrante para que o leitor deduza por contraste o que mudou para o personagem.

O disparador é a situação que desencadeia a história. É o momento em que se rompe o equilíbrio, mas o protagonista só pode REAGIR diante dessa situação, ainda não está em condições de DECIDIR o seu curso de ação. Do momento em que acontece o disparador até o primeiro revés, o protagonista resiste a entrar de cabeça no novo mundo com o qual se depara. O primeiro revés é o empurrão final, aquele evento que o obriga a comprometer-se com a nova situação em que se encontra.

Primeiro revés

É o início do CONFLITO INTERNO PRINCIPAL da história. É um evento que lança o protagonista no MUNDO EXTRAORDINÁRIO DA HISTÓRIA. Este é o ponto de onde o protagonista já não pode retomar sua vida normal. Tomou uma decisão ou lhe aconteceu algo pelo qual lhe é impossível recuperar seu mundo cotidiano. A única possibilidade que lhe resta é aventurar-se no desconhecido. O PRIMEIRO REVÉS é o fim do primeiro ato ou começo da história, e o início do segundo ato.

Crise

Durante o segundo ato, o protagonista deve enfrentar aos desafios que o novo mundo lhe apresenta. Deve enfrentar desafios cada vez mais difíceis até chegar a outro dos picos da história: a crise. A crise é o momento em que o protagonista parece ter chegado em um beco sem saída. As dificuldades que se acumularam o deixam agoniado e tudo parece perdido. Este é um momento chave para o protagonista, já que ele toma consciência de sua DEBILIDADE PRINCIPAL e se dá conta, além disso, de que para ter uma chance de obter êxito precisa fazer algum sacrifício. É um momento de alta tensão dramática e marca o final do segundo ato.

Clímax

Depois da crise, o nível de tensão cai, o protagonista toma um respiro e se prepara para alcançar o pico mais alto da história: o clímax. Aqui é onde ele enfrenta a maior prova de todas. Está em jogo seu êxito ou fracasso em alcançar sua meta de longo prazo. É sua oportunidade de superar definitivamente sua debilidade principal.

Resolução

Aquí é onde se veem os resultados da história. Se mostra dramaticamente o que o protagonista ganhou e se amarra os últimos fios soltos da história. É conveniente que a resolução não se estenda muito. A história já está completa.

Traduzido por Cristina Pereyra



Cristina Pereyra
Escritora
Brasil
www.cristinapereyra.com








Eu considero esse esquema perfeito. Sempre o utilizo para organizar minhas história, seja no momento de escrever ou correção. Quantas vezes nos perguntamos se a história vai muito devagar ou muito rápida? Aí está a medida perfeita!

Escribe Romántica possui dezenas de artigos tão úteis quanto este, explore atentamente e descubra um mundo de possibilidades para melhorar a sua escrita e resolver os problemas que você encontra durante o processo. Tenho certeza de que eles lhe ajudarão tanto quanto me ajudaram - e continuam ajudando. Pouco a pouco irei traduzindo-os para o português. 

Dúvidas, sugestões e perguntas, deixe nos comentários. Estaremos procurando lhe atender e ajudá-lo a  conquistar seu espaço no mercado literário.

ANUNCIO IMPORTANTE: Si te suscribes a nuestro blog el día de hoy, en los próximos minutos recibirás TRES SECRETOS PARA MEJORAR TU NOVELA... y un regalo sorpresa!!! Todo absolutamente GRATIS.



¡Comparte en Google+!

Publicado por Sianny

    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentarios: